[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» Folhas do Calendário >> Meses do ano Pub
Pub
 

DEZEMBRO
 
 

DEZEMBRO é o 12º e último mês do ano civil nos calendários Juliano e Gregoriano, composto por 31 dias. Deriva do latim Decembris ou December, assim chamado por ser o 10º mês do primitivo calendário romano que começava em Março. A reforma de Numa Pompílio acrescentou ao ano civil os meses de Janeiro e Fevereiro, passando Dezembro a ser o 12º mês, mas mantendo o nome que tinha inicialmente. Mais tarde, o Imperador Cómodo mudou-lhe o nome para Amazónio, em homenagem a uma amazona romana de quem possuía o seu retrato num anel. Tal como todas as tentativas usadas para mudar os nomes aos meses anteriores, também esta não sobreviveu.

Na civilização romana celebravam-se neste mês diversos festejos, entre os quais as Saturnais, no dia 17, em honra de Saturno, e a 25, dia do Solstício de Inverno no Calendário Juliano, as Natalis Invicti Solis (o Nascimento do Sol Invicto).

Enquanto duravam estas festas, a ninguém era permitido trabalhar, os tribunais e as escolas mantinham-se fechados, não se começava qualquer guerra e não se executavam criminosos nem se exercia ofício algum, excepto o de cozinhar.

As Saturnais, festas ruidosas, foram mais tarde substituídas pelo Carnaval, a quem legaram os folguedos; as Natalis Invicti Solis, celebradas a 25 de Novembro por a maior parte dos povos antigos e sob diferentes nomes, homenageava o dia do nascimento do Sol.

A Igreja católica, desde o século IV, celebra a 25 de Dezembro o nascimento de Jesus Cristo, o Sol da Justiça.

O mês de Dezembro era representado pela figura de um velho muito enroupado, encolhido com frio e com as mãos estendidas para um braseiro aceso.

Adaptado de ALMANAQUE 1996 - ME/DEB e Almanaque Popular 2004

Calendário Agrícola

Datas Comemorativas e Efemérides

 Feriados Municipais


História dos Calendários


Superstições e Crendices


Provérbios

<<<Novembro +++ Janeiro>>>

Voltar ao menu


Da natureza e efeitos do Signo de CAPRICÓRNIO
(22 de Dezembro a 20 de Janeiro)

Este signo é figurado por uma cabra, animal que vai trepando e subindo pelos montes e brenhas mais altas que acha. Assim o Sol, quando entra neste signo, vai subindo para nós e começam a crescer os dias. É de natureza da terra, frio e seco e é feminino, nocturno e movível: porque sai o Outono e entra o Inverno. Entra o Sol neste signo e 22 de Dezembro e desde que entra até que sai cresce o dia meia hora.

O varão que nascer debaixo da subida deste signo, será iracundo, vão e mentiroso. Denota que andará muitas vezes falando só consigo: será algum tanto melancólico, animoso e inclinado á guerra. E finalmente que padecerá algumas tribulações por causa das mulheres. Viverá enfermo; mas promete-lhe, conforme sua natureza, setenta e sete anos de vida.

Se for fêmea, terá a condição perversa e correrá perigo de se perder, se não lhe forem à mão em suas leviandades. Denota que será mordida de animal de quatro pés e que corre perigo de cair de alto; padecerá de algumas enfermidades, porém pequenas; à qual promete este signo, conforme sua natureza, sessenta e nove anos de vida.

(in “Lunário Perpétuo” – edição de 1901)

 

Da natureza e efeitos de outro Signo >>>

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster