[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» Folhas do Calendário >> Meses do ano Pub
Pub
 

NOVEMBRO
 
 

NOVEMBRO deriva do latim November ou Novembris, que significa nono mês, lugar que ocupava no primitivo calendário romano, composto de 10 meses. Depois, na reforma operada por Numa Pompílio, com o acrescento dos meses de Janeiro e Fevereiro, passou a ser o 11º mês, embora conservasse até hoje o nome inicial. O Imperador Romano Cómodo, cerca do ano 185 da nossa era, tentou mudar-lhe o nome para Exaperatorius, mas tal tentativa não prevaleceu.

No primitivo calendário romano tinha 30 dias, passando a ter apenas 29 na reforma de Numa Pompílio. Mais tarde, Júlio César ordenou que passasse a ter 31 dias, e desde o reinado do Imperador Augusto até hoje voltou a ter 30 dias.

Na antiga civilização romana o mês de Novembro era o menos importante em festas, pois era ocupado em arar a terra e semear, não havendo tempo para descanso. Mais tarde, por volta do ano 220 antes de Cristo, já encontramos muitas festividades neste mês, entre as quais as chamadas festas Neptunas em honra de Neptuno, deus dos mares, e as Festas Plebeias, que celebravam a reconciliação dos patrícios e do povo, e que duravam três dias.

De 21 a 24 celebravam-se as chamadas Brumas ou festividades do Inverno.

A 27 faziam-se sacrifícios mortuários aos manes (almas) dos antigos gaios ou gauleses (franceses de hoje) e que depois de vencidos, haviam sido sepultados vivos num dos mercados de Roma.

Novembro era representado pela figura de um homem coberto por um manto variegado de verde e preto, coroado de perpétuas e empunhando um molho de nabos e cenouras.

Adaptado de ALMANAQUE 1996 - ME/DEB e Almanaque Popular 2004

Calendário Agrícola

Datas Comemorativas e Efemérides

 Feriados Municipais


História dos Calendários


Superstições e Crendices


Provérbios

<<<Outubro +++ Dezembro>>>

Voltar ao menu


Da natureza e efeitos do Signo de SAGITÁRIO
(22 de Novembro a 21 de Dezembro)

Este signo é figurado por um centauro que está atirando setas, o qual representa os efeitos que causa o Sol, ao tempo que anda juntamente com este signo, que é lançar-nos chuvas, geadas, trovões e raios. É de natureza do fogo, quente e seco; é masculino, diurno e comum no Outono e Inverno. Entra o Sol neste signo a 22 de Novembro e desde que entra até que sai diminue o dia uma hora.

O varão que nascer debaixo da subida deste signo será vergonhoso, afável, honesto e venturoso: será inclinado a navegar, por onde virá ter fazenda e padecerá dano por animal quadrúpede; e terá algumas enfermidades: a primeira aos sete anos, outra aos dezoito e outra aos vinte e oito; e viverá, conforme sua natureza, sessenta e sete anos.

Se for fêmea denota que será imaginativa, temerosa e vergonhosa e alcançará riquezas e será de grande governo. Finalmente, assim o homem, como a mulher, serão inconstantes, mudáveis, ainda que misericordiosos e de boa consciência. Denota-lhe uma enfermidade aos quatro anos, outra aos vinte e dois e outra aos trinta: promete-lhe, conforme sua natureza, cinquenta e sete anos de vida.

(in “Lunário Perpétuo” – edição de 1901)

 

Da natureza e efeitos de outro Signo >>>

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster